2016年2月15日月曜日

耐寒性抜群のイペーを日本へ:ブラジルの友人Dr. AdilsonとSr Sebastiãoが貢献

   私は多くの方々と協力して、日本全国にイペーを広めたいと願っています。この度、ブラジルのサンタカタリーナ州サンジョアキン市で、2000年8月に経験した、気温零下9℃に耐えて見事に開花した、耐寒性抜群のイペーの親木から採種した7種類のイペーの種子を入手することができました。今回入手したこれらの種類や、今までに試験栽培した約50種類のイペーの栽培経験を生かし、更に品種改良を加えて、イペーを日本全国に展開するという夢を実現したいと考えています。
 

    以下は種子を送って頂いたブラジルの友人Dr. Adilsonさんのフェイスブックの転載です。

domingo, 14 de fevereiro de 2016


BRASIL + JAPÃO

CELEBRAÇÕES DOS 120 ANOS DE AMIZADE BRASIL-JAPÃO ! PROJETO CORES DO IPÊ – DE BLUMENAU SC – PARTICIPAÇÃO !
– Em 5 de Novembro de 1895 , o Ministro Plenipotenciário do Brasil, na França, Gabriel de Toledo Piza e Almeida, e seu homólogo japonês, Arasuke Sone, firmaram.em Paris, o Tratado, de Amizade, de Comércio, e de Navegação entre as duas Nações. Com o acordo, as relações diplomáticas entre Brasil e Japão, se iniciaram formalmente. No ano de 2015 em que se celebraram os 120 anos do acordo, muitos eventos que promovem a cultura Japonesa aconteceram no Brasil . No Japão, também muitos eventos que celebram, a cultura Brasileira, foram realizados. Culturais, esportivas, comerciais e acadêmicas.
Por feliz encontro, através do Blog Cores do Ipê, que registra nosso Projeto de Plantar Ipês em Blumenau e redondezas, recebemos ao contato, por email do Sr Hisanori Maeda, residente em Kirishima, Província de Kagoshima, Japão. Este senhor, com 75 anos de idade, engenheiro aposentado, trabalhou por 2 anos no Brasil, na Usina de Volta Redonda RJ na década de 70. Ao regressar ao Japão, iniciou ao plantio de ipês do Brasil, nossa árvore com Flor Símbolo do Brasil. Pois apaixonara-se por suas belas cores . E assim como a Cerejeira, árvore símbolo do Japão, produz floradas exuberantes e belas por poucos dias, mas que maravilham aos olhos de quem ama à Natureza. Há 35 anos, em seu pequeno sitio, em Kirishima, produziu mudas e exemplares que embelezam o Japão, colocando o Brasil, sempre como destaque , hoje com mudas e árvores de porte, em várias cidades japonesas.
Ao nos contatar pela primeira vez lá por junho de 2015, já nos fez várias perguntas sobre as espécies de ipês que teríamos em SC, e principalmente mostrou interesse por exemplares resistentes ao frio, mais precisamente, citou São Joaquim em Santa Catarina. Relembrava ele que no ano de 2000, São Joaquim em SC, havíamos tido o registro recorde de temperatura de - 9° C, no mês de agosto, seguindo-se de intensa nevasca. Logo a seguir um mês sêco e com calor elevado, havia eclodido uma florada espetacular em várias árvores da região. Estes dados coletados via internet, faziam identificar ao Sr Maeda que vive, em região com invernos semelhantes, de que as sementes de ipês da região da serra de Santa Catarina, poderia facilitar o plantio de novas árvores, adaptadas ao clima frio similar ao do Japão, onde vive. (São Joaquim - SC Brasil.)
- (Sebastião Alex Waltrick)
São Joaquim, terra de nosso progenitores Edison e Antônia, ligações afetivas com à terra joaquinense, nos facilitou o contato com Sr Sebastião Alex Waltrick, técnico agrícola e estudioso da flora da região. Seguimos a orientação dele para que a coleta fosse realizada no mês de janeiro, pois é o período em que as vagens com sementes de ipês, naturalmente abrem e espalham ao vento as pequenas sementes, que também alimentam periquitos, que ajudam disseminar novas plantas. Num trabalho espetacular, Sr Sebastião Alex Waltrick, selecionou 8 árvores da região, colhendo sementes e catalogando com registro de Coordenadas Geográficas, de cada árvore. Procedeu a contagem de sementes por vagem e a totalização de sementes. Condicionado em caixa especial, nos enviou à Blumenau.
Aqui dividimos em 4 partes, respeitando a identificação e catalogação. Enviamos uma parte para Curitiba ao Sr Hisanoari Ikeda, também técnico agrícola e que há muitos anos apoia no Japão ao Sr Hisanori Maeda. Através de empresas especializadas, obtivemos a Certificação Fitosanitária e enviamos ao Japão com pleno sucesso de entrega. As sementes, lá, permanecem em quarentena, respeitando as normas fitossanitárias japonesas. Serão depois disponibilizadas em plantio, quiçá propiciando um sucesso maior de resistência ao frio.
(Sr. Ikeda Curitiba)
Ao chegarem na região de Kagoshima, as sementes forem recepcionadas por uma intensa nevasca, fato que não ocorria naquela região nos últimos 100 anos. Assim de alguma maneira, temos contribuído com a integração e a amizade com povo nipônico e retribuindo as milhares de sementes de cerejeiras, que enviaram ao Brasil e estão plantadas em diferentes regiões do nosso Brasil.
Ainda ao longo do ano de 2015, vimos citações, entrevistas e fotografias do nosso Projeto Cores do Ipê de Blumenau, sendo mencionados pela NHK, rede de Televisão e Rádio Japonesa, a “TV EDUCATIVA” daquele país, divulgando nosso trabalho, através do Sr Hisanori Maeda e Professores Eméritos da Universidade de Kagoshima, o que nos orgulha sobremaneira.
Nesta troca de gentilezas, nenhum custo ou trabalho foi cobrado do Sr Hisanori Maeda e Professôres da Universidade de Kagoshima. Numa troca de gentilezas, soubemos que estaremos recebendo em breve,num gesto simbólico , um legítimo Kimono JINBEI, vestimenta que cobriu nobres famílias distintas do Japão, como sinal de grande honraria. ADILSON TADEU MACHADO e JOSÉ GERALDO REIS PFAU. Projeto Cores do Ipê. Blumenau SC – 07/02/2016.

0 件のコメント: